Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Eleições FUSCS 2011

Vamos estar orando desde já e se colocando nas mãos do Senhor para ser instrumento e benção na vida dos jovens da nossa Federação.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Abertura das Programações da Federação

Atenção Jovens da Federação de São Caetano ...





domingo, 23 de agosto de 2009

Não tire férias de Deus (término)


4. Demonstram estar semeando vento – quem tenta se esconder de Deus está lançando semente de vento no solo do coração. A Bíblia nos diz claramente que de Deus não se zomba, aquilo que o homem semear, será exatamente aquilo que ele irá colher ( Gl 6:7,8). Quem semeia vento não pode esperar outra coisa na época da colheita a não ser tempestades.
Quem semeia mornidão espiritual nas férias, o que pode esperar colher no restante do ano? O que semeia impureza moral nas férias pode esperar o que na colheita do resto do ano? Aquele que semeia liberalidade comportamental não pode esperar outra coisa a não ser vendaval para o resto do ano.
Um grande exemplo de um jovem que semeou vento nas suas “férias” é aquele filho rebelde, chamado na Bíblia de pródigo (Lc 15:11-32). Achou que conquistaria o universo, mas acabou num chiqueiro, vivendo e desejando comer com os porcos. Esta é a vida a qual você sonha? Isso é o que você espera? Se for, tire férias de Deus. Afirmo-lhe que, em breve, você será o retrato do pródigo da Bíblia.
Na história da Bíblia vemos o povo de Israel tirando férias de Deus repentinamente. Chegou o momento no qual eles precisaram de socorro e recorreram ao Deus de Abraão, Isaque e de Jacó (é! Na hora do aperto, esse Deus é lembrado), mas Ele lhes disse: “eu não vou mais ajudá-los. Agora peçam socorro aos deuses que vocês escolheram. Que eles os ajudem quando vocês estiverem em dificuldades!” (cf. Jz 10:13-14). A sequência do texto nos mostra que o povo se arrependeu e Deus lhes deu misericórdia e perdão.
Vemos ainda a história de Daniel, Ananias, Misael e Azarias – jovens que sabiam que Deus estaria por onde fossem (mesmo que o verão fosse um pouquinho mais quente, ou o safári fosse no meio de leões). Estes foram recompensados por Deus de maneira espetacular, pois eram mais envolvidos com o Deus da religião do que com a religião de Deus; sua teologia era comprometida com toda a verdade de Deus; suas vidas tinham Deus no centro e investiram da maneira correta na semeadura para o futuro.
E você, ainda quer tirar férias de Deus?

Referência:

Rev. Gidiel Câmara Júnior (I.P.”Comunidade da Cruz” – Lagoa Santa/MG)

(Não tire férias de Deus. Revista Mocidade Presbiteriana. Fase 3 – n°19.Janeiro/ Fevereiro/Março 2004.)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

sexta-feira, 14 de agosto de 2009


Não tire férias de Deus ( continuação )

Pela graça do nosso bondoso Pai, mais uma semana terminou e podemos continuar com a nossa leitura! Deus abençoe o entendimento e o coração de cada um de nós.

2. Demonstram adotar uma teologia “deformada” – aqueles que imaginam ser possível tirar férias de Deus revelam acreditar numa teologia que não é comprometida com a Verdade. Afinal de contas, estão demonstrando crer que há locais nos quais Deus não pode vê-los, ou não pode estar, ou, ainda, não se importa que seus filhos “montem acampamento” nas cercanias das modernas “Sodomas” e “Gomorras”.
Uma teologia “deformada” permite ao “crente” acreditar que Deus tem poderes limitados, que há uma possibilidade real de se esconder dele. Estes, ou nunca leram, ou não querem se lembrar do que a Bíblia diz: “... Para onde me ausentarei do teu espírito? Para onde fugirei da tua face?” ( Sl. 139:7). Agem como Adão e Eva no Éden que tentaram se esconder de Deus por trás de arbustos e folhas de figueira.
Deus está em todo lugar. Deus é onipresente. Ele sabe onde você irá de “férias”. Para quem está querendo uma “folga” de Deus, esta realidade não é muito agradável, pois quem quer uma “folga” de Deus está querendo aprontar alguma. Mas quem serve, de fato, a Deus, esta verdade é consoladora, animadora, confortadora, tranqüilizadora... (Sl.23,91,123, Hb. 13:5)

3. Demonstram ter a vida “fora do prumo” - quem manifesta o desejo de ir para a praia ou para a montanha, para o campo ou para a cidade, para o exterior ou para o interior e se esquecer de Deus, revela que está com a vida “fora do prumo”. Certamente a balança dos desejos e prazeres ligados estritamente ás emoções e á pele está buzinando a todo vapor no interior do seu coração.
O desafio do crente em Cristo é ter uma vida centrada em Deus. O apóstolo Paulo descreve este desafio como “andar no espírito” (Gl 5.16). Segundo ele, todo crente precisa estar em Cristo para que sua vida esteja equilibrada, esteja, de fato, no prumo (Rm. 6:11 e 8:1; 1Co 1:30 e 15:22; 2Co 5: 17; Ef. 2:6,7).
Não estou afirmando que Deus é contra prazeres, diversões, férias, festas... Apenas repito o que a Bíblia diz: toda diversão e todo prazer e tudo mais que o crente fizer ou participar deve glorificar a Deus (1Co 10:31), afinal, esta é a razão maior razão da vida do servo de Deus. Portanto, se suas festas, férias, diversões, prazeres não glorificam a Deus, sua vida está fora do prumo e somente poderá voltar ao centro quando o Senhor Jesus Cristo for o centro dela. Caso contrário, o cheiro será o de morte.

Referência:

Rev. Gidiel Câmara Júnior (I.P.”Comunidade da Cruz” – Lagoa Santa/MG)

(Não tire férias de Deus. Revista Mocidade Presbiteriana. Fase 3 – n°19.Janeiro/ Fevereiro/Março 2004.)


Termina semana que vem... (se Deus quiser, SEMPRE!)

terça-feira, 11 de agosto de 2009